Exposições

EM CARTAZ: ZEZAO & FERNANDA VALADARES

blog.Category.None

EM CARTAZ: ZEZAO & FERNANDA VALADARES

Instalação, MASP, 2009

ZEZAO | ZIPPER GALERIA


A Zipper Galeria tem o prazer de apresentar, a partir de 14 de junho de 2014, a primeira individual do grafiteiro Zezão na galeria. A mostra, com texto da curadora Thais Rivitti, marca a representação do artista pela Zipper e sua volta ao circuito expositivo de São Paulo, cidade onde não expõe desde sua participação em exposição coletiva no MASP em 2009.


A produção de Zezão aborda aspectos políticos, sociais e ecológicos, chamando a atenção para temas urbanos urgentes como violência, abandono, poluição e pobreza. Zezão começou sua carreira na década de 1990, pintando paredes de canais de esgoto e galerias de águas pluviais, casas abandonadas, becos desertos e vãos de viadutos. Ao levar cor a locais marginalizados pela sociedade, seu trabalho ganhou uma dimensão político-social reconhecida por críticos e curadores ao redor do mundo.


Situando-se na fronteira entre o rude e o poético, Zezão apresentará com sua individual na Zipper uma grande instalação, pinturas e objetos que discutem os limites entre a vida urbana e a arte contemporânea. São obras criadas a partir de materiais e objetos encontrados em esgotos, rios e córregos da cidade, que ganham sobrevida e conquistam uma nova identidade. Além de inéditas, o grafiteiro apresenta uma série de “Flops”, nome dado aos desenhos já conhecidos do artista, sempre azuis.


Sobre o artista:
Zezão é um grafiteiro que iniciou seus trabalhos em 1995 nas galerias pluviais da cidade de São Paulo. Atualmente, os grafites de Zezão podem ser vistos em muros, paredes de esgotos e viadutos de cidades como Nova York, Paris, Londres, Hamburgo, Basileia, Los Angeles, Florença, Frankfurt e Praga, entre outras. Expõe seus trabalhos de grafite e colagens também em galerias de arte e museus.
Como exposições individuais, pode-se mencionar: Variações Urbanas - Galeria Choque Cultural, São Paulo em 2010, Além Do Submundo - Galeria Athena Contemporânea, Rio de Janeiro em 2011 e Lembranças De Um Passado Adormecido- Galeria Athena Contemporânea, Rio de Janeiro em 2013. Entre as exposições coletivas, têm destaque: De Dentro Para Fora / De Fora Para Dentro - MASP - Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, em 2009, 1ª Bienal Graffiti Fine Art MUBE - Museu Brasilero de Escultura, São Paulo, Brasil em 2010, Street Art und Graffiti aus São Paulo - Espaço Fundação Brasilea, Basileia, Suíça em 2011, Fuera De La Línea - Museu Macro, Rosário, Argentina em 2011, Sankt Pauli Millerntor Gallery - Millerntorn-Stadion, Hamburgo, Alemanha em 2012, Urban Masters - Opera Gallery, Londres, Inglaterra em 2012, Sankt Pauli Millerntor Gallery - Millerntorn-Stadion, Hamburgo, Alemanha em 2013, Baroque The Streets: Dulwich Street Art Festival, Londres, Inglaterra em 2013 e Overtime - Heliumcowboy Gallery, Hamburgo, Alemanha em 2013.


FERNANDA VALADARES | PROJETO ZIP'UP


A tecnologia tem possibilitado a circulação de um volume cada vez maior de informações a uma velocidade que cresce também em escala progressiva, colocando-nos em estado de constante aceleração. Ainda assim, cabe a cada um a sua relação com o tempo. Seja partindo de amplos horizontes ou de planos construídos, a artista Fernanda Valadares nos convida a desacelerar, escutar o silêncio e tentar compreender por que a noção de sublime parece não fazer mais sentido hoje. Apenas parece. Em “O Sétimo Continente”, no piso superior da Zipper Galeria, a partir de 14 de junho, os segundos prometem se alargar. A exposição traz a possibilidade de uma transcendência da forma e da técnica para questões que beiram a metafísica e a política.


A artista se debruça sobre a matéria para fundir camadas de cera. Ainda que se enxergue como pintora e faça da encáustica seu principal meio e suporte, nesta mostra ela nos possibilita uma imersão num universo mais amplo da sua produção. Madeira e papel em sua condição de matéria adquirem simbolismos e nos mostram uma artista cuja reflexão poética e imagética explora o limiar entre a complexidade e a simplicidade. “Os significados não são fixos, se deslocam de uma referência a outra, deixando as imagens falarem por si, permitindo que trocas se estabeleçam a cada encontro. Fernanda mostra-nos espaço para falar de tempo. E falando de tempo nos faz vivenciá-lo, pois somente assim podemos experienciar sua obra”, enfatiza a curadora Bruna Fetter sobre o trabalho da artista.


Sobre a artista:
Fernanda Valadares nasceu em São Paulo, onde fez bacharelado e licenciatura pela Faculdade Santa Marcelina. Em 2007, em busca de outra relação com o tempo e o espaço, mudou-se para Porto Alegre, RS. Vive e trabalha nessa cidade, onde faz mestrado em poéticas visuais pelo Instituto de Artes/UFRGS. Desde então, teve trabalhos selecionados para o I Concurso Itamaraty de Arte Contemporânea e 64º Salão de Abril/CE e 42º Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilotto. Participou de várias exposições coletivas na cidade, e fez duas exposições individuais: a primeira, Museu de Arte Extemporânea em 2012 através do XIII Concurso de Artes Plásticas Goethe Institut Porto Alegre; e em 2014, Na Adega Evaporada, no Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul.

Notícias relacionadas

  • 20 de Fevereiro de 2014 às 22:32

    DANIEL ESCOBAR | PRÊMIO AQUISIÇÃO PROGRAMA DE EXPOSIÇÕES CCSP

    Link para a notícia
  • 12 de Abril de 2011 às 10:50

    Bruno Vieira | Santander Cultural PE

    Link para a notícia
Imagens