Corpos múltiplos na construção da paisagem: Evandro Angerami

15 Janeiro - 19 Fevereiro 2022

A Zipper Galeria tem o prazer de abrir o calendário 2022 do programa Zip’Up com a individual “Corpos múltiplos na construção da paisagem”, do artista Evandro Angerami. Aberta no dia 15 de janeiro de 2022, a exposição reúne um conjunto de trabalhos que reforça a subjetividade do artista na abordagem da paisagem. Em fotografias e objetos, ele revela uma realidade continuamente construída, dentro e fora do campo artístico.

A Zipper Galeria tem o prazer de abrir o calendário 2022 do programa Zip’Up com a individual “Corpos múltiplos na construção da paisagem”, do artista Evandro Angerami. Aberta no dia 15 de janeiro de 2022, a exposição reúne um conjunto de trabalhos que reforça a subjetividade do artista na abordagem da paisagem. Em fotografias e objetos, ele revela uma realidade continuamente construída, dentro e fora do campo artístico.

 

Por si, a paisagem é produzida ao longo do tempo pela relação entre as dinâmicas naturais e sociais. Mas Evandro Angerami adiciona uma camada a mais neste universo material e simbólico: o artista insere elementos que ora se misturam à paisagem, ora rompem sua continuidade; ele procede operações particulares, ligadas às práticas contemporâneas, para criar sua poética construtiva.

 

“A paisagem aqui é abordada como múltiplos corpos – e vice-versa – que, como receptáculos sensoriais, se constróem nos contrapontos das imagens, neste imperativo contemporâneo de vê-las e preservá-las da densidade irredutível da matéria e do enigma dos questionamentos do artista contemporâneo”, escreve Andrés Hernández, que assina a curadoria da exposição. 

 

A mostra “Corpos múltiplos na construção da paisagem” fica em cartaz até 19 de fevereiro de 2022.

 

Idealizado em 2011, um ano após a criação da Zipper Galeria, o programa Zip’Up é um projeto experimental voltado para receber novos artistas, nomes emergentes não representados por galerias paulistanas. O objetivo é manter a abertura a variadas investigações e abordagens, além de possibilitar a troca de experiência entre artistas, curadores independentes e o público, dando visibilidade a talentos em iminência ou amadurecimento. Em um processo permanente, a Zipper recebe, seleciona, orienta e sedia projetos expositivos, que, ao longo dos últimos anos, somam mais de cinquenta exposições e cerca de 70 artistas e 30 curadores que ocuparam a sala superior da galeria.

 

Sobre o artista 

 

Evandro Angerami (São Paulo, 1979) é mestre em Fine Arts pela New York University, artista visual e arte educador. Entende arte e educação como agentes de transformação em um mesmo processo contínuo dentro da sociedade. O artista tem como eixo poético conceitos como ancestralidade, identidade, natureza primordial e ecologia. Seu trabalho é dividido entre o ateliê e as atividades ao ar livre, muitas vezes com as comunidades locais e indígenas brasileiras. 

 

Sobre o curador

 

Andrés I. M. Hernández, nasceu em Cuba e desde 1998 mora e trabalha em São Paulo, Brasil. É curador, pesquisador, professor e crítico de arte, tendo atuado também como artista visual em projetos individuais e parcerias com Tania Bruguera e Laura Lima, por exemplo. Doutor e Mestre em Teoria, Crítica e Produção em Artes Visuais é autor da trilogia de OBRAS COMENTADAS – MAMSP, MUnA-UFU e Avanti Campinas. Trabalhou na área de curadoria e exposições na Bienal de Havana (Centro de Arte Contemporáneo Wifredo Lam), Museu de Arte Moderna de São Paulo e Luciana Brito Galeria. Curador independente desde 2013 e curador chefe do SUBSOLO Laboratório de Arte. Os desafios na inserção da pesquisa artística ampliada dos agentes artísticos contemporâneas e os tensionamentos conceituais e espaciais recorrentes constituem o epicentro de seus projetos.